Há 21 anos sem Títulos, Mocidade quer reencontrar os grandes carnavais. Relembre como foi o último Triunfo da verde e Branco de Padre Miguel

Com o enredo ” Criador e Criatura” de Renato Lage, a tradicional escola da Zona Oeste do Rio de Janeiro levou o caneco do Grupo Especia pela última vez

mocidade-96

A mocidade foi a oitava escola a entrar na avenida no domingo de carnaval, no dia 18/02/1996. Já com o dia claro, o que irritou o carnavalesco Renato Laje,  seus 4000 integrante desfilaram para um sapucaí ainda lotada apesar do adiantado da hora. Sua bateria com 300 componentes foi comandada pelo mestre  Coé, a escola sagrou-se campeã ao atingir 300 pontos.

O desfile

Com suas 27 Alas, a escola entrou por volta as 5:30  da manhã. A comissão de frente veio toda vestida de Frankstain, simbolizando o criador. Como âncora a escola trouxe um personagem da escolinha do professor Raimundo, da rede Globo de Televisão.O Gênio.

No carro abre alas Renato Laje mostrou a criação do mundo, Deus confeccionando o globo terrestre com a ajuda de seus operários. Após o primeiro carro, as alas seguintes simbolizavam o dia, a noite, o mar com os peixe chegando no segundo carro que representava a fauna e a flora. Neste carro também foi confeccionado um aquário gigante.

A sequência da escola vem com alas que representavam os pássaros  e o animais marinhos como ambientes que se completam.A criação do Homem como sua imagem e semelhança veio representado pela comunidade de Padre Miguel.

No terceiro carro veio uma serpente e os destaques vieram caracterizando Adão e Eva e na alegoria várias maçãs mordidas simbolizavam o fruto proibido.Como destaque principal Luiza Ambiel.

Escute o Samba enredo

 

As alas  seguintes veieram com a representação de leonar Da Vincci, mostrando que após ser criatura o homem passou também a criar e a evolção do universo se deu graças a invenções como a da Lâmpada por Tômas Edson

A bateria veio fantasiada de Robocop fazendo a ligação do contemporãneo com o futurismos. No quito carro o carnavalesco mostrou que a ciência evolui e que o futuro poderia ser promissor até mesmo gerando vida sem o útero da mãe. O Sexto carro já vem falando que o homem será trocado por máquinas, e grandes engrenagem  moviam até mesmo o corpo humano.

O sexto carro veio representando a chegada do Homem na Lua, um astronalta na frente do carro suspenso encantou a avenida. Já em 96 Renato laje queria colocar um homem voando sobre a avenida, mas a liesa não deixou. Isso só veio a acontecer no desfile de Paulo Barros, pela Grande Rio, já no ano 2010.

Impressões Gerais

Apesar de a Viradouro ter demorado um pouco para retirar os seus carros não houve problemas para que a escola de Padre Miguel dispersasse. Na época todos sabiam que a mocidade viria pra ficar entre as 3 melhores, embora o fato de ter desfilado com a Luz natural teria atrapalhado um pouco.

No fim a mocidade confirmou o seu favoritismo e conquistou o caneco conseguindo 300 pontos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *